O GUIA QUE NÃO ESTÁ NOS GUIAS: UM ROTEIRO PARA VER O MELHOR DE LISBOA EM 3 DIAS

O GUIA QUE NÃO ESTÁ NOS GUIAS: UM ROTEIRO PARA VER O MELHOR DE LISBOA EM 3 DIAS

 Por Thais T. Y. Ferreira

Dicas para explorar Lisboa, considerada a melhor cidade do mundo, de acordo com a edição de 2017 da Wallpaper Design Awards

 

Em três dias é possível conhecer os principais pontos turísticos, mas é preciso muita disposição e sapatos confortáveis para enfrentar as calçadas lisas, escadarias e subidas íngremes. Mas já te garanto, vai valer a pena. Esse roteiro não é dos mais completos, mas ao final também deixo algumas dicas para quem vai ficar mais tempo na capital portuguesa.

Se você for utilizar o transporte público durante a sua visita, faça um Cartão Viva assim que chegar à cidade. Nesse site você vai encontrar o preço detalhado das tarifas e neste blog há o passo a passo de como comprar e recarregar seu cartão; é muito simples! Não caia na besteira de comprar bilhetes individuais ou ficar pagando direto ao motorista, demora e sai mais caro.

Preparados? Então vamos lá!

DIA 1: Parque Eduardo VII, Baixa e Castelo de São Jorge

A minha sugestão é começar seu dia pelo Parque Eduardo VII (próximo das estações de Metro Parque, São Sebastião e Marquês de Pombal, aqui tem o mapa do Metro de Lisboa). Na parte superior do Parque a vista é deslumbrante! Desça a pé mesmo até o monumento do Marquês de Pombal, considerado o marco zero da cidade.

Se estiver muito animado, afinal, é o primeiro dia, vá a pé pela Avenida Liberdade, que é a avenida das marcas mais famosas do mundo (a nossa “Champs-Elysées”). Mas se tiver sem tanta animação assim, opte pelo metro até a estação Restauradores ou ônibus (linha 736 que vai do Marquês até a Praça dos Restauradores), Uber, tuk-tuk (que são os carrinhos turísticos), táxi, o que preferir. Acho que já deu pra perceber que é muito fácil se locomover nessa região…

Pois bem, ali na Praça dos Restauradores temos o Hard Rock Café, o ascensor da Glória (que leva ao Miradouro de São Pedro de Alcântara) e a Fábrica da Nata. Se você é desses que quer provar todos os pastéis de nata para decidir por si mesmo qual é o melhor, esse vale provar!

Depois, desça até a Praça do Rossio. Essa praça é um ícone de Lisboa e por ali é possível visitar a loja O Mundo Fantástico da Sardinha Portuguesa e provar a Ginja de Lisboa, que, para muitos, é a bebida oficial da cidade. Há dois lugares, um em frente ao outro, em que é possível experimentar o licor. Já que estamos aqui e se vive uma vez só, experimente os dois! Em seguida, vá à Praça da Figueira, com sorte, pode ser que tenha feiras itinerantes de artesanato e comidas típicas.

Dali, desça a Rua Augusta e se prepare para um bombardeio de garçons te chamando para almoçar. Não é preciso resistir aos chamados, mas fique sempre atento aos preços que, muitas vezes, são abusivos. Dê preferência às ruazinhas laterais, como inúmeras opções de restaurantes para almoçar.  Aproveite e experimente o Pastel de Bacalhau mais famoso da cidade na Casa Portuguesa do Pastel de Bacalhau. Ou ainda, desça mais um pouco até a Praça do Comércio e tenha uma refeição memorável no Museu da Cerveja, com direito a cervejas artesanais e uma vista privilegiada da ribeira.

Dali já se vê o Arco da Rua Augusta. É possível subir para apreciar a vista, mas se estiver com o tempo apertado, dá pra ficar sem.

De um lado do arco vê-se toda a Baixa de Lisboa e do outro, a Ponte 25 de abril, a outra margem do Tejo e a Praça do Comércio.

Já que estamos aqui, passeie a pé pela praça, vá até o Cais. É muito bonito e vale um tempo para apreciar.

Agora vamos ao Castelo de São Jorge! Volte em direção à Rua Augusta até a Rua Conceição, siga até o largo da Madalena e pegue o autocarro 737 que leva até o arco do Castelo.

Fique atento aos horários das visitas guiadas, recomendo a do Sítio Arqueológico que conta a história da cidade e a Câmara Escura em que é possível ver Lisboa toda em tempo real através de um periscópio.

Saindo do castelo, vá em direção ao miradouro Portas do Sol. É lindo tanto de dia como à noite e tem muitas opções para jantar nas proximidades, restaurantes com Fado ao vivo, comida típica portuguesa, bistrôs, enfim, vale encerrar o dia por ali e ver o pôr do sol.

DIA 2: Belém, Cais do Sodré e Bairro Alto

Vamos começar o dia em Belém, um dos meus lugares preferidos e, sem dúvida, um dos mais bonitos de Lisboa.

Para começar, chegou a hora de provar o legítimo Pastel de Belém! O lugar é muito maior do que parece e vale tomar um café da manhã por ali. Para escapar da fila, fique atento à entradinha lateral que dá acesso ao interior da loja; pegue uma mesa e desfrute!

Siga para o Mosteiro dos Jerônimos, bem ao lado. Ali você pode ver as tumbas de Luís de Camões, Fernando Pessoa e Vasco da Gama.

Se você estava esperando um museu, vai adorar o Museu Berardo. é o único museu português na lista dos 100 museus mais visitados em 2016 do The Art Newspaper. A coleção é enorme e possui obras famosas de Salvador Dalí, Andy Warhol e muitos outros artistas.

Atravessando o Jardim de Belém, já se vê o Monumento aos Descobrimentos e mais à direita, a famosa Torre de Belém.

Atravesse a passarela e vá caminhando até lá. No verão, as pessoas fazem piqueniques e tomam sol no Jardim em frente à torre. Há wine trucks e você pode comprar uma taça de vinho para apreciar a vista ou beber enquanto espera a fila para entrar na torre. Ao lado do Padrão dos Descobrimentos, tem um dos melhores restaurantes da cidade na opinião do Senhor Estilo, e o Glauco falou dele aqui. Se a fome apertar, faça uma pausa no Espaço Espelho D’Água que não irá se arrepender. Para os brasileiros, é um dos únicos sítios onde se pode comer um cupim de boi fabuloso!

Dali, pegue um trem da estação de Belém até o Cais do Sodré. Atravessando a rua, visite o Mercado da Ribeira (Time Out Market), onde há opções de comida para todos os gostos. Bem à entrada, há a Ginja de Óbidos, que é bem diferente da Ginja de Lisboa e você pode tomar num copinho de chocolate. Vale experimentar!

Depois de se deliciar no Time Out, vá até a Rua Nova do Carvalho, que é conhecida como Pink Street pelo chão cor de rosa. Passeie pelos bares da região, e não deixe de entrar e beber uns copos na Pensão Amor, um dos bares mais icónicos da cidade. Se ainda tiver energia sobrando e quiser aproveitar a noite lisboeta, siga até o Bairro Alto, entre a Rua da Rosa e Rua da Atalaia, onde há várias opções de bares e baladas. Se joga!

DIA 3: Chiado e Parque das nações

Comece o dia com um café no emblemático A Brasileira, que foi frequentado por vários escritores e artistas e conta com uma estátua de bronze do célebre escritor português Fernando Pessoa. Pose para a foto.

A poucos metros dali está o Convento do Carmo. A estrutura que já foi a principal igreja gótica de Lisboa teve o teto todo destruído pelo terremoto de 1755 e abriga hoje um museu arqueológico muito bonito.

Volte para o Largo de Camões e vá até A Manteigaria para seu terceiro pastel de nata! De acordo com a Revista Viagem e Turismo, na comparação final entre o tradicionalíssimo Pastel de Belém x Manteigaria, este levou a melhor. Tire suas próprias conclusões!

Logo na saída da loja, pegue o elétrico 28E sentido ao Jardim da Estrela. No verão esse belo jardim está sempre movimentado, com feirinhas e atividades. Independentemente da sua religião, não deixe de visitar a deslumbrante Basílica da Estrela (Real Basílica e Convento do Santíssimo Coração de Jesus), onde se encontra sepultada a rainha de Portugal, D. Maria I (A Louca), única monarca portuguesa da dinastia de Bragança que não se encontra no Panteão da Dinastia de Bragança (exceção feita ao rei D. Pedro IV de Portugal, imperador do Brasil, que se encontra sepultado na cidade de São Paulo).

Saindo dali, vá em direção à estação de metro Rato e siga até a estação Oriente, a maior de Lisboa, construída para a Expo de 1998.

Logo do outro lado da rua há o Centro Comercial Vasco da Gama e na saída, está o Parque das Nações, também construído pra Expo 98.

Nessa região, vale muito a pena conhecer o Oceanário de Lisboa, eleito como o melhor do mundo pelo Traveler’s Choice do TripAdvisor. Fique atento aos horários e vá com calma, tem muito o que ser visto por ali.

Siga em direção à torre Vasco da Gama e passeie pela ponte de madeira ou vá de teleférico; veja os preços e locais exatos aqui.

No caminho pelo Jardim Garcia de Orta há muitos restaurantes e há muitos outros na Av. Dom João II.

São três dias com muitas atividades, mas claro, existe uma infinidade de museus, igrejas, miradouros, parques e atrações pela cidade. Uma dica é adequar seu roteiro às suas preferências.

Com dias extras, uma boa dica é visitar Sintra e Cascais, que são maravilhosas e bem próximas de Lisboa.

Alguns lugares que você pode incluir no seu roteiro:

*Pra quem gosta de arte urbana, lojas criativas e cervejas artesanais, o LxFactory é uma boa pedida. Uma antiga fábrica de tecidos deu lugar a um ambiente bem moderno com arquitetura industrial onde há sempre algo novo para ver. Um lugar super cool e cheio de gente descolada! Confira a programação aqui.

*O Jardim Zoológico de Lisboa conta com aproximadamente 2 mil animais. Veja os preços e horários de funcionamento aqui.

*Estádio da Luz, o estádio oficial do Benfica é um deleite para os amantes do futebol. Além do estádio em si, é possível agendar visitas e conhecer o Museu Benfica Cosme Damião. Veja preços e horários no site oficial.

*Para quem quiser conhecer os melhores restaurantes da cidade, indico o App Zomato. Pelo aplicativo você consegue filtrar os locais pelo tipo de culinária, refeição, localização e preço. Também pode ver a nota de cada estabelecimento, menus, horários e tudo o mais, evitando várias ciladas! Vale o download. Ou ainda, dê uma vista d’olhos na secção de Food do site.

Glauco
glauco@senhorestilo.com
No Comments

Post A Comment