ELTON JOHN EMOCIONA FÃS EM NOITE DE SUCESSOS EM LISBOA

ELTON JOHN EMOCIONA FÃS EM NOITE DE SUCESSOS EM LISBOA

 

Por Rubens Borges

Elton John apresentou-se em Lisboa no passado 11 de dezembro com a digressão Wonderful Crazy Tour, um concerto de quase três horas que embalou a todos com novos e antigos sucessos.

Luzes apagadas, telemóveis ao ar. Sir Elton John entra em palco. O concerto começa com um longo solo de Funeral for a Friend. Sem pausa, um contagiante Love Lies Bleeding anima o público presente. Foram doze minutos de música e uma ovação de pé. A canção seguinte levou-o para cima do piano. The Bitch is Back.

Elton John estava alegre, vestia uma camisa encarnada e casaco preto com bordados de lantejoulas e cintilantes, a incitar o público – uma sala cheia, plateia sentada. A canção que está a tocar é Bennie and the Jets.

O cantor arriscou algumas palavras em português e cumprimentou o público com um “boa noite Lisboa”, fez o elogio de praxe à cidade. E ao tempo mais quente do que o habitual para dezembro. “É o último concerto da digressão e vamos torná-lo especial”, disse.

Após Philadelphia Song a sala foi maravilhada com uma amostra do virtuosismo de Sir Elton John. Ele fez um medley de canções de Natal, como Jingle Bells e We Wish a Merry Christmas. Foi a antecipação de uma explosão musical com os acordes de Rocket Man, que empolgou muito o público.

Na segunda parte do concerto o cantor emendou muitos sucessos como Yellow Brick Road, Have no Mercy in the Criminal, Sorry Seems To Be the Hardest Word e Your Song. Todos os singles foram acompanhados pelo público e muito aplaudidos. A plateia começou a levantar-se e aproximou-se das primeiras filas, em Sad Songs (Say So Much).

Por fim, Elton John tinha de regressar para Candle in the Wind (versão Norma Jean, a original) e Crocodile Rock, depois de passear pelo palco, assinar autógrafos, posar para selfies e apertar mãos. Eram quase 23h30 quando as luzes se acenderam.

O cantor britânico foi novamente ovacionado de pé pelo público presente. Um concerto para ficar para a história, com quase três horas de duração, no qual o músico cantou, tocou piano e demostrou que está com muita vitalidade e dinamismo.

 

No Comments

Deixe uma resposta