MONTE DA BICA: O GIN E OS VINHOS DE ALMA LUSA E ESSÊNCIA ALENTEJANA

MONTE DA BICA: O GIN E OS VINHOS DE ALMA LUSA E ESSÊNCIA ALENTEJANA

A história do Monte da Bica, do seu Bica Gin, e dos seus vinhos, nasce no coração do Alentejo, em Lavre, e no coração de jovens empreendedores que deram alma a este projeto

“Diz-me o que bebes, dir-te-ei quem és”. Guarde este nome: Bica Gin. É no Alentejo, mais precisamente em Lavres, onde nasce um gin mais que especial, da busca incessante pelos botânicos ideais e do romantismo de uma herdade centenária. Ali, no “Monte da Bica”, o gin, tal como o monte, foi buscar o seu nome à bica que há mais de 70 anos lá se encontra. Do monte vêm alguns dos botânicos utilizados, e da bica, a água, que foi a verdadeira fonte de inspiração deste inovador e desafiante gin artesanal.

A conjugação desses vários fatores com a vontade – e a teimosia – de dois jovens empreendedores resultou num gin com alma lusa, autêntico e de sabor agradabilíssimo. Sua água nada comum, que brota naquele local há mais de 100 anos, tem um ligeiro e suave toque de terra, e é isso que a diferencia, pela pureza da sua origem; depois, o álcool puro (96% vol.) com base de cereais (arroz e trigo) é aromatizado com os botânicos em dois processos distintos e em recipientes diferentes; o zimbro da Macedónia, os coentros da Ucrânia, a canela do Sri-Lanka e uma procura do equilíbrio entre o amargo e o doce dos cítricos, formam o princípio do Bica Gin, e comprovam a exploração das diferentes origens e sabores da botânica.

De regresso às origens, a Destilaria Monte da Bica volta a mostrar toda a sua irreverência nesse projeto que teve vida pelas mãos de Paulo Martins e João Oliveira, que ao longo de dois anos pesquisaram, estudaram afinaram e testaram a receita que hoje tem um sabor especial. No nariz, aromas profundos, com impacto floral e doce, no qual se destacam a camomila e o rosmaninho. Notas cítricas frescas seguidas de um suave aroma a mato verde. Na boca, em primeiro lugar o sabor clássico do gin. Redondo e equilibrado com notas florais adocicadas, tem bem presente as especiarias. Picante e quente, com o cítrico dos coentros à mistura. No fundo de boca encontramos a laranja amarga e por fim o verde.

Um gin nacional premium para ser degustado em ocasiões simples da vida, mas tão especiais quanto o seu sabor único, elegante e refrescante. PVP: 36,60 €.

E se isso já eram ótimas notícias, os vinhos Monte da Bica também merecem destaque. Dessa vez, pelas mãos de João Oliveira e do enólogo André Herrera, são quatro blends que acabam de nascer, com uma característica comum: a casta castelão, que de início pensaram arrancar, e à qual acabaram por dar uma oportunidade. Que o castelão aproveitou!

São eles: Monte da Bica – Regional Alentejano Tinto 2016; Monte da Bica Rosé – Regional Alentejano 2017; As Netas chegaram Primeiro – Regional Alentejano (Oaked e Unoaked) Tinto 2016; Afinal não arrancamos o Castelão – Regional Alentejano Reserva Tinto 2016.

No Comments

Deixe uma resposta