THE FOLLY, O HOTSPOT MAIS ALEGRE E GULOSO NO CORAÇÃO DE ESTREMOZ

THE FOLLY, O HOTSPOT MAIS ALEGRE E GULOSO NO CORAÇÃO DE ESTREMOZ

Conheça esse irreverente projeto que inclui adega, restaurante, bar, loja e galeria de arte numa cidade Alentejana em plena expansão turística

 

Esse é um daqueles sítios fora do eixo Lisboa-Porto perfeitos para uma escapadinha e que valem a pena pegar no carro e deslocar-se até lá só para conhece-lo. Não há duvidas de que será um dia muito bem passado…

A história tem início com o empreendedor e colecionador de arte britânico Howard Bilton, que encontrou o parceiro perfeito para a empreitada: o premiado enólogo australiano David Baverstock (ex-enólogo chefe no Esporão e hoje consultor da marca). Considerada a primeira adega urbana de Estremoz, no Alentejo, o The Folly é um projeto inovador e autêntico, em todos os sentidos.

A criatividade artística é o tema transversal da Howard’s Folly, que junta vinho, arte e caridade sob o mesmo teto, com uma adega repleta de obras de arte, um restaurante contemporâneo incrível e uma galeria de arte, através da qual apoia uma fundação para crianças e jovens carenciados.

A poucos metros do centro da cidade, inserido num edifício que parece um castelo caiado de branco, o espaço que já foi um antigo Grêmio e que em tempos foi utilizado para estocagem de adubos e cerais, abriga hoje um empreendimento muito especial. Localizado dentro da cidade murada de Estremoz, as largas paredes de betão são responsáveis por manterem o frescor do ambiente, por assim dizer.

A adega ficou pronta em 2018. Hoje, juntamente com David Baverstock, o enólogo Pedro Fureal é um dos responsáveis pela produção de vinhos excecionais, como o Sonhador, nas qualidades de branco, tinto e rosé, e cujos rótulos são obras de arte de artistas do mundo. Lindo de se ver, óptimos na prova.

Ao entrar na adega, chama a atenção um grafite de autoria de La Funk, uma interversão artística com uma explosão de cores abstratas e vívidas, onde se veem uvas e mais temática do vinho.

A vindima é toda manual e o processo tem início com a chegada das uvas em caixas de plástico de 15kg. A produção conta com 60% de vinhas próprias e 40% de uvas de outros produtores. A empresa tem produzido ainda vinhos personalizados, para ocasiões especiais, cujos rótulos com nome de clientes e empresas são um potencial mercado para a marca.

Hoje, 85% da produção de vinhos da Howard’s Folly é de tintos e 15% brancos – nos quais incluem-se os rosés, com a produção iniciada em 2019. São ao todo 6 rótulos todos os anos – e chega-se a 8 com a produção dos vinhos monovarietais. Também estão a atirar-se numa pequena produção de vinho de talha – existente no Alentejo desde a ocupação romana.

The Folly

Esse é provavelmente o bar/restaurante mais cool da cidade; é um convite para curiosos e apreciadores de vinho, residentes e turistas, a provarem os vinhos premium da Howard’s Folly ou tomarem um cocktail, antes de um jantar memorável pelas mãos do chef Hugo Bernardo (já lá vamos).

Decorado pelo famoso atelier de arquitetura e design de interiores ARKSTUDIO, o bar e o restaurante têm um ambiente acolhedor e eclético, com detalhes de artesanato local, tal como as tradicionais tapeçarias Alentejanas penduradas nas paredes e os azulejos, bem como obras de arte contemporânea. O espaço conta ainda com um agradável pátio interior com plantas e uma enorme ânfora de barro. Um charme!

Chama a atenção uma curiosa coleção de estatuetas coloridas de porquinhos, expostos na zona do restaurante e do bar, que fizeram parte de uma Pig Parade (desfile de porcos) que Bilton organizou em Hong Kong em 2019 (o ano do porco) e que fez parte de um leilão cujos lucros reverteram para a Sovereign Art Foundation, uma instituição de caridade que ajuda crianças carentes na Ásia.

Restaurante by Chef Hugo Bernardo

Um dos pontos altos desse irreverente projeto é a cozinha nada tradicional do restaurante The Folly, onde o Chef Hugo Bernardo reinventa pratos tradicionais portugueses com um toque moderno e colorido, todos eles pensados para serem partilhados.

Sentar-se ali à mesa é comer com arte, literalmente.

Com base na filosofia “da terra para o prato”, o menu está em constante evolução, focando-se nos mais frescos produtos portugueses sazonais, de origem local. Para começar, há uma tábua de queijos da região e enchidos da famosa Salsicharia Canense da Dona Octávia (18 €), petiscos tais como os croquetes de alheira com maionese de manjericão (6 €), e um prego Alentejano (9 €). Os pratos principais incluem um magret de pato com purê de beterraba (17 €), um fresquíssimo ceviche de robalo (15 €) e um naco da vazia servido redução de vinagre balsâmico, queijo de ovelha curado, coentros e cebola frita (16 €). Para a sobremesa, uns divinais figos caramelizados com gelado de figo e frutos secos tostados (7 €), uma mousse de chocolate com merengue de pimenta rosa (5,50 €), gelado de queijo de cabra e morango (7,50€) e frutas da época transformadas num delicioso crumble (6€). Tudo isto é harmonizado com os excelentes vinhos da Howard’s Folly (rosé, branco ou tinto), ou com uma seleção de vinhos de produtores locais, escolhidos a dedo pelo próprio David Baverstock.

Futuro

E se isso já eram excelentes notícias para Estremoz, dizem que em breve será inaugurado um novíssimo Museu do Azulejo, pelas mãos do investidor e entusiasta João Berardo. A conferir!

THE FOLLY
Rua General Norton de Matos, Estremoz
Tel.: 268332151
Web: howardsfollywine.com
De quinta-feira a domingo, das 12h30 às 23h.

No Comments

Post A Comment